Aneurismas

Aneurismas

Aneurisma arterial é a dilatação anormal e permanente de uma artéria, provocada por alterações estruturais em suas paredes, trauma ou alguma doença vascular, podendo ser seguida de ruptura total ou oclusão do vaso atingido.

Tipos

Os tipos mais comuns de aneurisma arterial são:

  • Aneurisma de aorta abdominal
  • Aneurisma de artéria poplítea

Os locais mais comuns de ocorrência do aneurisma são: aorta, na parte de trás do joelho (artéria poplítea), cérebro, intestino, baço.

Causas

Embora seja alvo de diversos estudos, o aneurisma não possui causas totalmente claras, com exceção dos casos em que a dilatação das artérias é causada por trauma ou doença vascular.

Fatores de risco

Predisposição genética, pressão arterial elevada, colesterol alto e o tabagismo podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver certos tipos de aneurismas. Acredita-se que aterosclerose também tenha um papel importante na ocorrência de alguns tipos de aneurisma, principalmente os da aorta abdominal. A gravidez também é, muitas vezes, ligada à formação e também à ruptura de um aneurisma da artéria esplênica.

Sintomas

Os sintomas dependem do local onde ocorreu a dilatação e/ou ruptura. Se for próximo às camadas superficiais da pele, o paciente pode apresentar inchaço, dor e até um “caroço” na região. Já os aneurismas internos, principalmente no cérebro, muitas vezes não causam sintomas aparentes, somente quando há ruptura do vaso sanguíneo.
Há pacientes que sentem uma massa pulsátil no abdômen e, em alguns casos, verificam-se dores abdominais e queda da pressão arterial. Em muitos casos é feito o diagnóstico em um exame de rotina, realizados para verificação de outros tipos de doenças.
Caso haja rompimento do aneurisma, o paciente pode apresentar dor, pressão arterial baixa, aumento da frequência cardíaca e mal estar. Nesses casos, a taxa de mortalidade aumenta consideravelmente.

Prevenção

Algumas formas de prevenção dos aneurismas arteriais são controlar a pressão arterial, possuir uma alimentação saudável e balanceada, praticar exercícios regularmente, manter o colesterol dentro dos níveis aceitáveis e não fumar. Existem, ainda, aneurismas que são causados e originados da parte genética e, neste caso, não há prevenção.

Tratamento

As formas de tratamento também dependem do tipo de aneurisma, do seu tamanho, do local onde ocorreu e se há rompimento. Se a artéria se romper, o paciente precisará de cuidados médicos emergenciais, e a taxa de mortalidade aumenta consideravelmente.
Há duas formas para o tratamento de aneurisma: a cirurgia aberta e a endovascular.
Na cirurgia aberta, é necessário abrir o abdômen (no caso do aneurisma abdominal), parar temporariamente o fluxo de sangue na parte do aneurisma e trocar a porção dilatada por uma prótese de tecido que é costurada no local. É utilizado anestesia geral e, por tratar-se de um procedimento de grande porte, a recuperação é mais lenta e o tempo de internação maior.
Na técnica endovascular, uma endoprótese (tubo cilíndrico de metal e tecido) é colocada dentro do aneurisma sem que se abra cirurgicamente o tecido ao seu redor. Geralmente são feitos pequenos cortes na virilha por onde se passam os cateteres para a realização do procedimento. O procedimento é feito com o auxílio de um equipamento de radioscopia digital. O procedimento torna-se menos agressivo, a recuperação do paciente é mais rápida e o tempo de internação é menor. A melhor forma de tratamento é definida em conjunto pelo cirurgião e o paciente.


Mais informações? Agende uma consulta e tire suas dúvidas! Contate-nos.

Contato